Subtenente Erenice é exemplo de segurança humanizada na PM e na regulação

Categoria: Geral | Publicado: sexta-feira, março 15, 2024 as 08:21 | Voltar

A Agência de Regulação de Mato Grosso do Sul (AGEMS) tem se destacado por inovações que a fazem referência para outras agências do País. Como a criação da Assessoria Militar e o impacto que essa nova unidade trouxe para a segurança na fiscalização do transporte de passageiros.

Contando com uma experiente equipe de Policiais Militares, a Assessoria é hoje uma ferramenta valiosa em um serviço essencial para milhares de viajantes por todo o Estado. Resultado da dedicação e competência de homens e mulheres como a subtenente Erenice Mendes, policial militar desde 1998, e integrante da Assessoria na Agência desde seu início.

Nunca tive a experiência que tenho aqui na AGEMS, o capital humano é ímpar! O ambiente é de alegria e comprometimento com o trabalho. A solidariedade e camaradagem entre todos é linda de ver. Amo isso.

Pesquisando por informações, mas “sem conhecer exatamente a complexidade e a magnitude” do trabalho da AGEMS quando foi convidada a integrar o grupo, a policial chegou com o entusiasmo de poder colocar em prática todo o conhecimento e experiência adquiridos nas ações de campo, mesmo as mais delicadas.

Eu buscava um local onde eu pudesse resgatar um pouco da adrenalina que tive trabalhando no DOF [Departamento de Operações de Fronteira]”, conta Erenice, completando com bom humor que tem “paixão por rodovias e ‘cabriteiras’”, uma referência a estradas secundárias de difícil acesso, muitas vezes utilizadas para prática criminosa, o que pode ocorrer no transporte, quando clandestinos insistem em operar ilegalmente.

Segurança e cidadania

Além da experiência de PM, Erenice conta com conhecimentos e vivências de pedagoga, psicopedagoga e professora de letras e literatura na realização do trabalho, seja no suporte administrativo ao funcionamento da Assessoria, seja nas estradas, atuando pela garantia da integridade dos agentes da Câmara Técnica de Fiscalização. É o mesmo cuidado de segurança humanizada que ela exerceu na Polícia Militar.

Sempre tive vontade de trabalhar nesse ambiente pelas características de minha personalidade, independente e determinada, e pelos desafios. Foram inúmeras as unidades pelas quais passei e digo sempre que todas me ensinaram algo sobre a vida e sobre mim.

Na Rádio Patrulha, embora tenha realizado muitas prisões, fiz um trabalho social maravilhoso, servi a população em todas as oportunidades, com informações, às vezes alimentos e remédios, às vezes apenas uma escuta. Tudo isso durante os atendimentos das ocorrências. Lembranças desses momentos aquecem meu coração com a sensação de missão cumprida, pois a Polícia Militar é também um servir anônimo, silencioso e gratificante.

Aprender sempre

Na AGEMS, o trabalho se divide entre o operacional – em mobilizações, campanhas e eventos que demandem efetivo maior - e a responsabilidade administrativa de elaborar escalas, ordens de serviço e fazer o controle funcional do efetivo da Assessoria Militar.

E foi na convivência dos eventos e operações que a subtenente diz ter encontrado motivações até mesmo para revisão de condutas como cidadã: “Na reciclagem do lixo, na economia de energia, na observância do uso do transporte público devidamente autorizado e até dos meus direitos e deveres enquanto consumidora dos serviços públicos do nosso estado”, ela conta.

Tem uns meses que iniciei a separação do lixo em minha casa e me surpreendi com a quantidade de material que realmente seria lixo. É gratificante saber que fazemos nossa parte!

Publicado por: Gizele Oliveira

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.